Quando recebo pais que me procuram porque seus filhos apresentam dificuldades de aprendizagem, é comum que eu ouça as seguintes frases:

“Ele não está acompanhando os colegas de sala”.

“Ela é a única que ainda não sabe ler e escrever”.

“Parece que ele vive no mundo da lua”.

“Não para quieto um minuto”.

“Meu filho derruba tudo. Tudo cai da mão dele”.

Primeiro eu quero te lembrar que as pessoas são diferentes, logo, é natural e esperado que nem todas aprendam na mesma idade, velocidade e com o mesmo método de ensino, pois muitos são os fatores que influenciam a aprendizagem humana.

Há pessoas que precisarão de mais tempo, de recursos diferenciados e de auxílio específico e mais direcionado para obter sucesso em seu processo de aprendizagem. Essas pessoas precisarão do trabalho e apoio psicopedagógico.

Para entender melhor como funciona o processo de aprendizagem da criança, quais são suas dificuldades e habilidades preservadas, eu realizo no consultório uma Avaliação Psicopedagógica, onde faço:

  • Entrevistas com os pais e com a professora da escola;
  • Observações comportamentais;
  • Provas de Consciência Fonológica, Leitura e Escrita, Matemática, Psicomotricidade, Atenção e Memória;
  • Testes Projetivos;
  • Momento Lúdico;
  • Provas Operatórias.

A partir dos resultados, tenho um mapeamento do processo de aprendizagem do cliente e fica possível indicar o melhor tratamento para melhorar a dificuldade apresentada, identificar quais habilidades devem ser desenvolvidas, treinadas e se serão necessárias adaptações curriculares e de atividades na escola, dentre outras orientações à família e escola, para que todos ajudem o cliente no seu desenvolvimento.

Como diria Paulo Freire: “Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso, aprendemos sempre.”